Impactados pela Cruz.

Impactado pela Cruz.

Texto: Marcos 8:34 – E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me.

Gálatas 2:20 – Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Introdução:

  1. A cruz, era instrumento de suplicio, de tormento, aplicado aos piores criminosos. Vários povos costumavam pendurar os condenados no madeiro. No livro de Gênesis está registrado que, 18 séculos antes de Cristo isto já acontecia no Egito: Dentro de três dias Faraó tirará a tua cabeça, e pendurará em um manadeiro. Gênesis 40. 19.
  2. Os judeus também penduravam em madeiros. O relato mais antigo vem cerca de 1.405 anos antes de Cristo. Depois disto, Josué os feriu e os matou, e os pendurou em cinco madeiros, Josué 10.26. Porém naquela época, somente penduravam os corpos no madeiro, depois que, os condenados já estivessem mortos.
  3. Quando passaram a pendurar as pessoas vivas no madeiro? Os fenícios parecem ter sido os primeiros povos a pendurar as vítimas vivas, fazia isso através de um madeiro pontiagudo, onde o condenado era transpassado pelo ventre, ficando no madeiro até morrer, em uma horrorosa agonia. Mas foram os romanos que evoluíram e revolucionaram do simples madeiro pontiagudo para Cruz, muitos anos depois, acrescentaram atravessa o horizontal, onde, a vítima era amarrada viva e encravada. Foram os romanos que popularizaram este tipo de execução.
  4. Geralmente, a crucificação, era feita fora da cidade, os criminosos carregavam a sua própria cruz, até o local da sua crucificação, as suas mãos eram cravadas no madeiro, sendo primeiro a mão direita, em seguida mão esquerda, e seus pés também era encravado. A morte na cruz era demorada, e para antecipar a morte do criminoso, seus pés eram quebrados, com o cassetete, ou um martelo. A tortura da Cruz era a forma mais desumana, e sem misericórdia já inventada pelo homem.
  5. Nos tempos de Cristo, existiam quatro tipos de Cruz: A primeira assemelhava-se com a letra x, e era chamada de Cruz de Santo André, a segunda assemelhava-se a letra T, e era chamada de Cruz de Santo Antônio, já a terceira era semelhante ao sinal de mais, utilizado na soma, e era chamada de Cruz Latina, e a quarta, era a cruz na forma da letra y, denominada de cruz grega, alguns estudiosos acreditam que Jesus foi crucificado em uma cruz Latina, em forma de x, outros afirmam ter sido na cruz de santo Antônio, em forma do sinal de mais, mas para nós o importante não é o símbolo da cruz, não queremos fazer apologia ao símbolo da cruz mas, a sua mensagem, Cristo, que para os gregos é loucuras, mais para nós que somos salvo é o poder de Deus.
  6. Para mim, é um Desafio pregar sobre o tema acima citado, de forma que procurei me aprofundar com mais contundência sobre o assunto, então fui impactado com situações que ocorreram antes, e durante a crucificação de Cristo.
  • Em primeiro lugar, o que me impactou, foi ver a insensibilidade dos discípulos, no momento que Jesus mais precisou deles, eles dormiram.
  • Em segundo lugar, o que me causou Impacto, foi ver a ganância de Judas que além de vender a Jesus, por 30 moedas de prata, o traiu com um beijo.
  • Em terceiro lugar, o que também me impactou, foi ver a inveja dos

líderes religiosos, os escribas, anciões e os sacerdotes Anais e Caifais, que se reuniram para tramar a morte de Jesus, o acusando o, mesmo sabendo que Jesus era inocente, até Pilatos percebeu que era por inveja que os líderes religiosos o haviam entregado, a ponto de tentar libertá-lo e lavar as suas mãos.

  • Em quarto lugar, o que me deixou pensativo, foi ouvir Pedro e praguejar e dizer: – Eu não conheço! vocês podem imaginar isso?
  • Em quinto lugar, o que me deixou impactado, foi a ingratidão do povo que gritaram, solta Barrabás e crucifiquem Jesus, e que seu sangue caia sobre nós, e sobre nossos filhos, este povo foram os mesmos que gritaram hosana, hosana, hosana nas alturas.
  • Em sexto lugar, o que me impactou foi ver as mãos de Jesus sendo perfuradas com pregos pontiagudos, mãos que um dia ele Estendeu para curar, para salvar, para abençoar, para dar vida outra vez, e agora suas mãos feridas, furadas, marcadas.
  • Em sétimo lugar, o que me deixou impactado, foi ver os carrascos, baterem com tanta violência, com tanta fúria em um homem inocente, fragilizado, mas entendemos que assim fizeram induzidos por satanás.
  • Em oitavo lugar, o que me deixou mais emocionado, o que me arrancou lágrimas dos olhos foi, ver Jesus na cruz, se apoiar sobre os pregos e fazendo um tremendo esforço só para dizer; pai perdoou porque não sabe o que fazem. Mas o que me deixou mais impactado, foi ver Jesus sendo desafiado a descer da cruz, mas continuou firme, e olha para o ladrão ao seu lado, que lhe pede; lembra-te de mim! Jesus lhe responde, hoje mesmo estarás comigo no paraíso.

Eu estou impactado pela cruz.

E você? Para que o evangelho seja pregado com contundência e poder, precisamos de uma geração IMPACTADA PELA CRUZ E DECIDIDA EM SEGUIR A CRISTO SOMENTE A ELE. O Apóstolo Paulo impactado pela Cruz vai revelar quatro decisões.

I- PRIMEIRA – O APÓSTOLO PAULO IMPACTADO PELA CRUZ, DECIDIR ASSUMIR A SUA REAL POSIÇÃO EM CRISTO.

E qual é a sua real posição em cristo – já estou crucificado com cristo.

  1. ESTAR CRUCIFICADO COM CRISTO É DOLOROSO.
  • Quem está crucificado com Cristo, diz não ao mundo.
  • Quem está crucificado com Cristo, anda como Cristo andou.
  • Quem está crucificado com Cristo, suporta traição.
  • Quem está crucificado com Cristo, suporta ser vendido.
  • Quem está crucificado com Cristo, suporta calúnia.
  • Quem está crucificado com Cristo, suporta afronta.
  • Quem está crucificado com Cristo suporta a Cruz.
  • Quem deseja essa posição? Quem quer brigar por essa posição? Mas esta é de fato a única posição oferecida pelo evangelho, pois aquele que quiser vim após mim, pegue cada um, à sua cruz e siga-me
  1. ESTAR CRUCIFICADO COM CRISTO É SUBLIME.
  • Estar Crucificado com Cristo, é ter vida eterna. João 3.16
  • Estar Crucificado com Cristo, é ser filho de Deus.
  • Estar crucificado com Cristo, é ser herdeiro de Deus.
  • Estar crucificado com Cristo, é ser cor-herdeiro com Cristo.
  • Estar crucificado com Cristo é, ser participante da sua glória.

Romanos 8:17

E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

II- SEGUNDA – O APÓSTOLO PAULO IMPACTADO PELA CRUZ, DECIDIU ACEITAR O SEU ESTADO DE MORTE.

E qual é o seu estado de morte? – E já não vivo, mas eu.

  1. SIGNIFICA QUE NÃO É MAIS A MINHA VONTADE QUE ESTÁ EM EVIDÊNCIA.

2, SIGNIFICA QUE A VONTADE DE DEUS PREVALECE EM MIM.

  1. O AVIVAMENTO ACONTECERÁ, QUANDO ENTENDEMOS O NOSSO ESTADO DE MORTE – JÁ NÃO VIVO, MAS EU.
  2. UZIAS TEM QUE MORRER PARA QUE O SENHOR JESUS APAREÇA. Isaias 6.1-9

A cruz de Cristo me trouxe vida, mais também a cruz de Cristo me trouxe morte. Temos que aprender que a igreja não é o lugar para que as nossas vontades sejam supridas, a igreja é o local para que a nossas necessidades sejam supridas, no âmbito material e espiritual. E qual é a diferença? Quando falamos que a igreja é o local das nossas vontades serem supridas, estamos dizendo que na igreja tem que ser feito aquilo que eu quero, o que eu desejo, mas temos que entender que a igreja não foi constituída para esse fim. Quando entendemos isso iremos orar como Jesus orou, Pai não seja feito a minha vontade, mas, a tua vontade. Quando oramos assim ouviremos; por causa do clamor e do gemido dos necessitados, eu o Senhor me levantarei agora. Vontade e não necessidade.

III- TERCEIRA – O APÓSTOLO PAULO IMPACTADO PELA CRUZ, DECIDI VIVER A SUA NOVA VIDA EM CRISTO.

E qual é a sua nova vida em Cristo? – Cristo em mim.

  1. QUE AS PESSOAS VEJAM CRISTO EM MIM.
  • Que as pessoas, não vejam estampado no meu rosto, meu ódio, minhas ambições, nem as minhas fraquezas, mas as pessoas vejam Cristo em mim.
  • Quando as pessoas pensarem em me caluniar, e se levantarem contra mim com todo tipo de acusações, mais ao olharem para mim, vejam Cristo em mim.
  • Eu quero que as pessoas olhem para mim, e falem do mesmo jeito que falaram para o apóstolo Pedro, você é um deles, você se parece com ele.
  1. QUE SATANÁS E SEUS DEMÔNIOS VEJAM CRISTO EM MIM.
  • Quando satanás for me acusar, me apontar e me desafiar, ele veja Cristo em Mim.
  • Que eu não seja ofuscado pelas coisas deste mundo, mais que o mundo veja Cristo em mim.
  1. QUE DEUS, NA SUA JUSTIÇA VEJA CRISTO EM MIM.
  • Quando Deus olhar para mim, não veja os meus pecados, mas veja Cristo em mim.

IV- TERCEIRA – O APÓSTOLO PAULO IMPACTADO PELA CRUZ, DECIDIU ESTABELECER RAZÕES CONTUDENTES PARA O SEU VIVER NA CARNE.

1.NÃO PODEMOS ESQUECER QUE TEMOS UM VIVER NA CARNE.

  1. O VIVER NA CARNE DEVE ESTAR FOCADO NA FÉ EM CRISTO.
  2. O VIVER NA CARNE DEVE ESTAR FOCADO NA ESSÊNCIA DO SEU AMOR.

Aplicação:

A MORTE DE CRISTO RELATADA POR UM MÉDICO.

  1. Pilatos ordena a flagelação de Jesus. Os soldados despojam Jesus e o prendem pelo pulso a uma coluna do pátio. A flagelação se efetua com tiras de couro múltiplas sobre as quais são fixadas bolinhas de chumbo e de pequenos ossos.
  2. Os carrascos devem ter sido dois, um de cada lado, e de diferente estatura. Golpeiam com chibatadas a pele que dilacera e se rompe; o sangue espirra. A cada golpe Jesus reage em um sobressalto de dor. As forças se esvaem; um suor frio lhe impregna a fronte, a cabeça gira em uma vertigem de náusea, calafrios lhe correm ao longo das costas. Se não estivesse preso no alto pelos pulsos, cairia em uma poça de sangue.

3.Depois o escárnio da coroação. Com longos espinhos, mais duros que os de acácia, os algozes entrelaçam uma espécie de coroa e o aplicam sobre a cabeça. Os espinhos penetram no couro cabeludo fazendo-o sangrar. Pilatos, depois de ter mostrado aquele homem dilacerado à multidão feroz, o entrega para ser crucificado. Colocam sobre os ombros de Jesus o grande braço horizontal da Cruz; pesa uns cinquenta quilos. Jesus Caminha com os pés descalços pelas ruas de terreno irregular, cheias de pedregulhos. Os soldados o puxam com as cordas. O percurso, é de cerca de 600 metros. Jesus, fatigado, arrasta um pé após o outro, frequentemente cai sobre os joelhos. Quando ele cai, a viga lhe escapa, escorrega, e lhe esfola o dorso.

4.Sobre o Calvário tem início a crucificação. Os carrascos despojam o condenado, mas a sua túnica está colada nas chagas e tirá-la produz dor atroz. Os carrascos dão um puxão violento. Há um risco de toda aquela dor provocar um desmaio, mas ainda não é o fim.

  1. O sangue começa a escorrer. Jesus é deitado de costas, depositam-no sobre o braço horizontal da cruz. Os carrascos tomam as medidas. E com uma broca, é feito um furo na madeira para facilitar a penetração dos pregos. Os carrascos pegam um longo prego pontudo e quadrado, apoiam-no sobre o pulso de Jesus, com um golpe certeiro de martelo o plantam e o rebatem sobre a madeira. Jesus deve ter contraído o rosto assustadoramente. O nervo mediano foi lesado. Pode-se imaginar aquilo que Jesus deve ter provado; uma dor lancinante, agudíssima, que se difundiu pelos dedos, e espalhou-se pelos ombros, atingindo o cérebro. A dor mais insuportável que um homem pode provar. Um suplício que durará três horas.
  2. Pregam-lhe os pés. E ao meio-dia Jesus tem sede. Não bebeu desde a tarde anterior. A boca está semiaberta a garganta, seca, lhe queima, mas ele não pode engolir. Tem sede. Um soldado lhe estende sobre a ponta de uma vara, uma esponja embebida em vinagre, mas ele não quer beber. A respiração se faz, pouco a pouco mais curta. O ar entra no seu corpo, mas não consegue mais sair. Jesus respira com o ápice dos pulmões. Tem sede de ar: como um asmático em plena crise, seu rosto pálido pouco a pouco se torna vermelho, Jesus é envolvido pela asfixia. Os pulmões cheios de ar não podem mais esvaziar-se, os olhos saem fora de órbita.

7.Mas o que acontece? Lentamente com um esforço sobre-humano, Jesus toma um ponto de apoio sobre o prego dos pés. Eleva-se a respiração torna-se mais ampla e profunda, os pulmões se esvaziam e o rosto recupera a palidez inicial. Por que este esforço? Porque Jesus quer falar: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”.

  1. Atraídas pelo sangue que ainda escorre e pelo coagulado, enxames de moscas zunem ao redor do seu corpo, mas ele não pode enxotá-las. Pouco depois o céu escurece, o sol se esconde: de repente a temperatura diminui. Logo serão três da tarde, depois de uma tortura que dura três horas. Todas as suas dores, a sede, as cãibras, a asfixia, o latejar dos nervos medianos, lhe arrancam um lamento: “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes? ”.

9.Jesus grita: “Tudo está consumado!”. Em seguida num grande brado diz: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. E morre. Em meu lugar e no seu.https://www.amazon.com.br/dp/B07GKXMXFL/ref=cm_sw_r_cp_awdb_t1_zisGBbAMRA7V7

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s